31 dez 2017

Algumas empresas utilizam frequentemente capital externo, vindo de bancos, financeiras e antecipações de recebíveis, para suportar suas operações financeiras e continuarem ativas.

Mas afinal, quando o caixa da empresa fica baixo e há necessidade de aportes, onde o empresário deve buscar este capital?

Primeiramente, muitos se esquecem de uma linha de crédito que é a antecipação (ou desconto) de recebíveis. Trata-se de transformar duplicatas de venda a prazo, vendas parceladas no cartão de crédito ou mesmo os cheques pré-datados de clientes em capital para saldar as contas atuais. É antecipar dinheiro futuro – que a empresa irá receber – em dinheiro presente.

Mas quando fazer isto?

Para determinar quanto e que data antecipar, será muito importante montar uma projeção de fluxos de caixa para saber se o valor que está sendo antecipado fará ou não com que a empresa fique no vermelho no futuro. Resolver a situação atual gerando um problema maior não seria uma boa ideia.

Uma grande vantagem da antecipação, comparativamente com outras linhas de crédito, é que o empresário não está pegando algo emprestado de alguém, mas sim usando algo que já é da empresa, simplesmente antecipando datas e pagando por isso. Por este motivo, as taxas de antecipação acabam sendo menores que os empréstimos disponíveis.

Mas lembre-se, como qualquer outra linha de crédito, deve se usada de forma planejada, senão pode virar um grande problema para o empresário.

Fonte: Exame

Deixe um comentário